quinta-feira, 22 de junho de 2017

Saúde Animal: Doença intestinal pode causar desnutrição em cães

Problemas no trato gastrointestinal também acomete cães. Foto: Divulgação

Diarreia crônica ou aguda, ventre enrijecido e fezes com coloração mais escurecida são sinais de que talvez o cãozinho tenha algum problema gastrointestinal. Entre os distúrbios mais comuns estão as gastrites e as colites, que podem acometer cães de todas as raças e portes.

De acordo com o médico veterinário da Equilíbrio e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado, muitos pacientes com problemas intestinais podem desenvolver quadros de desnutrição, causada pela inabilidade do organismo em desempenhar suas funções normais de absorção de nutrientes. Segundo Machado, o cão precisa consumir alimentos específicos para amenizar as crises: “O manejo nutricional de uma doença gastrointestinal exige alimentos formulados com ingredientes específicos, como a proteína de soja, glutamina e prebióticos, que proporcionam alta absorção e ajudam na digestibilidade”.

A dieta especial é coadjuvante à terapia farmacológica e pode ser necessária por toda a vida do animal: “em quadros agudos, crises, o alimento especial deve ser utilizado, no máximo, durante um mês, mas nos caos crônicos o pet precisa consumir ao longo da vida, sempre com acompanhamento veterinário”, completa o médico veterinário.

Fonte: Total Alimentos.


segunda-feira, 19 de junho de 2017

Pet gripado? Veterinária esclarece 7 dúvidas sobre a doença

Prevenção da gripe em pets é feita através da vacinação. Foto: Divulgação

Confira os esclarecimentos sobre a gripe em animais de estimação destacados pela Dra. Bárbara Benitez, médica veterinária da Equilíbrio e Coordenadora da Comunicação Científica da Total Alimentos.

Cães e gatos ficam gripados?
Sim, mas é uma gripe diferente dos seres humanos. Os pets não pegam gripe das pessoas, nem transmitem para nós.

O que causa?
Em geral cães e gatos são acometidos por gripe por causa de vírus ou bactéria. Nos cães, os vírus causadores podem ser Parainfluenza Canina e a bactéria Bordetella Bronchiséptic. Nos gatos, chamamos de doença do complexo respiratório felino, que pode ser causada por vários agentes.

Como prevenir?
Assim como nos humanos, a melhor forma de prevenir a gripe nos pets é a vacinação, que deve ser feita anualmente.  Nos cães a vacina deve ser contra Parainfluenza Canina e a bactéria Bordetella Bronchiséptic, nos gatos contra Rinotraqueite, Calicivirus e Clamídia.

Cães e gatos podem pegar H1N1?
Não. As gripes de humanos não são transmitidas para os pets.

Quando eles pegam gripe?
A maior incidência da gripe ocorre no outono e inverno, mas, quando filhotes, os pets precisam de bastante cuidado, pois são acometidos mais facilmente por gripe.

Sintomas?
• Falta de apetite;
• Febre;
• Espirros;
• Apatia;
• Olhos lacrimejantes;
• Coriza;
• Conjuntivite;
• Lesões no interior da boca.

Como meu pet será tratado?
O tratamento é feito a base de antibióticos, inalação, fisioterapia respiratória.

Fonte: Total Alimentos.


quarta-feira, 14 de junho de 2017

Grátis: Feira Vida Liberta RJ celebra Dia Internacional do Yoga e traz novidade no cardápio: carne de caju (18/06)

Gastronomia vegana por até R$ 20. Evento em Ipanema é pet friendly


Evento em Ipanema é Pet Friendly. Foto: Tarik

Rio de Janeiro, RJ. No dia 18 de junho, domingo, acontece das 11h às 20h a 5ª edição da Feira Vida Liberta, com entrada gratuita, shows, palestras e gastronomia vegana até R$ 20. A edição será dedicada ao Dia Internacional do Yoga com aulas gratuitas, incluindo yoga para crianças. A Feira Vida Liberta é pet friendly, tem entrada gratuita e acontece na Casa 7, em Ipanema, pertinho do metrô, em um espaço com área coberta e ar condicionado.  Os organizadores sugerem que visitantes tragam alimentos para doar aos projetos Arrastão de Luz e Casa de Fraternidade Francisco de Assis. Quem quiser, pode doar também rações para cães e gatos que serão entregues a protetores independentes.

Comida vegana até R$20. Foto: Tarik
Gustavo Goldani, um dos organizadores do evento, é instrutor de yoga e reunirá amigos professores para a ação. “Criamos a feira Vida Liberta com intenção de incentivar um estilo de vida saudável e consciente de forma alegre e divertida. O Yoga faz parte disso. Um exercício psico-físico milenar, com benefícios comprovados para a saúde, que pode ser feito em qualquer espaço e por pessoas de todas as idades”, exalta Gustavo, criador da feira ao lado da irmã, Catarina.

Os dois vêm de uma família de médicos e se preocupam muito com o tema saúde consciente. “Nosso evento é inclusivo, oferecemos gastronomia saudável até R$ 20,00 com opções para celíacos e pessoas com alergias alimentares que são, normalmente, negligenciadas”, garante Catarina, que estuda Nutrição e comanda a barraca Culinária Liberta que oferece sucos e tortas vivas e apetrechos para preparar os sucos em casa.

A Feira Vida Liberta também tem sido uma importante alavanca econômica para pequenos produtores como a hamburgueria Grão Mestre. Sediada em Saquarema, venderam tudo na edição passada, em sua primeira participação. A nova aposta nessa edição é no potencial da carne de caju que será vendida pela Cia do Caju em formato de empada e hambúrguer.  

Lista de expositores: ALIV Aromaterapia - Cosméticos Veganos | Aldrago Ambiental - Terrários, mudas, produtos para horta | Barletta Massas - Pizzas, pães | Bora La - açaí, comida fit | Culinária Liberta - sucos vivos, voal para suco, torta viva | Caminho do Alto - compotas, temperos, molhos | Cia do Caju - empada e hambúrguer de carne de caju + canjica com leite de castanha de caju | Canto do Banguela - produtos orgânicos da roça | Doce Vegana - doces | Da Si - refeições e compotas | Grão Mestre - hambúrguer Jhon Bermond - pinturas com pigmentos naturais Lua Essência - cosméticos Nutri Veg - nhoque, massas PANCs Brasil - molhos, plantas alimentícias não convencionais Solo Vegano - salgados Solar Vegano - quiches Sorvetes Tribo - sorvetes Seed Vida Saudável – doces, pastas, trufas, cosméticos naturais Santi Veganos - cachorro quente, pães, bolos Veguita Burguer - hamburguer Vegui Delicias - refeições, salgados | Vida Prana - sucos, alimentos vivos Vegabom - "peixe", "linguiça", hamburguer de soja Velho Armazem Temperos - temperos, molhos, quiches, refeição Zula Kitchen - rolls veganos.

Serviço: Feira Vida Liberta. Casa 7.  Rua Piragibe Frota Aguiar, 7 - Ipanema /RJ. Domingo, dia 18 de junho, das 11h às 20h. Entrada Franca.


segunda-feira, 12 de junho de 2017

Saúde Animal: Por que os gatos deixam a ração na beira do pote?

Excesso de sensibilidade dos bigodes de felinos pode atrapalhar a alimentação. Foto: Divulgação

A hora da refeição nem sempre é o momento mais agradável na vida de um gato. Às vezes, eles têm o hábito de comer a ração que está no meio da tigela e deixar a borda cheia de grãos e, ainda assim, reclamam que está sem comida.

Outra situação é quando eles começam a comer e param, voltam a comer e param novamente, levando vários minutos para se alimentar de uma porção pequena. Tem ainda alguns felinos que puxam a comida para fora do prato, fazendo muita sujeira. Há, também, aqueles que são mais obedientes, mas quando estão em frente ao prato de comida se tornam mau humorados e bravos, especialmente com outros gatos da casa.

Foto: Pixabay
Para o médico veterinário da Max Cat Marcello Machado, tudo isso ocorre devido ao excesso de sensibilidade nos bigodes, os felinos se irritam quando estes encostam na borda de pratos e potes de ração. “Os bigodes dos gatos, também chamados de vibrissias, são órgãos sensoriais, receptores táteis, que são conectados aos músculos da face e ao sistema nervoso que enviam para o cérebro diversos sinais para ajudar o felino a entender o ambiente”, explica.

Não importa a quantidade de ração que você coloca no pote, o gato sempre come o meio e deixa o restante nas beiradas. E depois fica miando para repor a ração, como se o prato estivesse vazio. Também pode acontecer do gato jogar a ração para fora do prato antes de comer. “Pode parecer frescura ou que está sem fome, mas o motivo é a ‘Fadiga dos Bigodes’ que confunde as informações que enviam ao cérebro sobre o ambiente em que se encontram”, declara Machado.

Outro motivo pelos quais os gatos não comem a ração na beirada do prato é basicamente uma questão de geometria: gatos têm focinhos que dificultam que eles alcancem a beirada do comedouro tradicional. Quando tentam pegar a ração dos cantos, eles batem o focinho sensível na borda e precisam girar a cabeça e puxar os grãos com a língua.

Marcello explica que os bigodes também são capazes de detectar a menor mudança de direção do vento, ou ondas de som e vibrações. “Por isso, é importante encontrar uma melhor forma de alimentá-lo, um pote adequado e não o estressar, caso ainda persista a dificuldade da alimentação, é importante procurar um veterinário”, finaliza.


sexta-feira, 2 de junho de 2017

RJ: Campanha de Adoção do LARC (Lar de Chiquinho), acontece neste sábado, na Barra da Tijuca (03/06)


Neste sábado (03/06), vai rolar a campanha de adoção do Lar de Chiquinho na petshop A Casa do Bicho, na Avenida Olegário Maciel, 390, na Barra da Tijuca, das 10h às 16h.

Cães e gatos esperam uma família amorosa e responsável. Para adotar é necessário ser maior de 18 anos e ter em mãos CPF, RG e comprovante de residência.

Quem não puder adotar, pode ajudar com doações de ração, tapetes e areia higiênicos, medicamentos, produtos de pet, vermífugos, jornais, coleiras, guias e potes para ração. 

Serviço: Campanha de Adoção do LARC (Lar de Chiquinho). Casa do Bicho, Rua Olegário Maciel 390 - Barra da Tijuca/RJ. Sábado, dia 03/06, das 10h às 16h.

Apoio: 


quinta-feira, 1 de junho de 2017

Niterói: Seminário de Estética Pet promove encontro de groomers premiados, nesta segunda (05/06)

Feira Pet arrecada ração para cães e gatos e realiza campanha de adoção de pets



Um bom groomer precisa  sempre atualizar as suas técnicas de tosa, estudando o padrão de cada raça e até mesmo aprendendo a cuidar dos pêlos de pets, como gatos e coelhos. Buscando apresentar as principais novidades do setor, nesta segunda-feira (05/06), a cidade de Niterói receberá a II Edição do Seminário Estética Pet, que irá promover um grande encontro entre  groomers premiados e especializados  com os profissionais de banho e tosa da  região. Nessa edição, o evento contará com uma Feira Pet, aberta ao público, para que todos possam conhecer melhor o trabalho de um groomer  e os principais produtos que utilizam. São esperadas cerca de 400 pessoas.

A programação do evento está mais que especial. Para os profissionais de banho e tosa e criadores que querem  aprender mais, os workshops apresentarão grandes groomers de outros estados.  De São Paulo estão vindo: Samuel Castro, groomer campeão das Américas do Master Groom, mostrando a técnica de Trimmer em um cão da raça Golden Retriever;  e Simony Cariri, groomer especialista em tosa exótica, ensinando os cuidados na hora de tosar um coelho. E do Espírito Santo, o groomer Samuel Maier, especialista em Chow Chow, que irá mostrar o que é mito e verdade sobre a raça mais temida pelos tosadores. Os participantes das palestras ganharão certificados.



Já a Feira Pet irá trazer marcas de roupas, acessórios, produtos de beleza, e petiscos para pets. O grupo Dogs, formado pela veterinária Joana Neder e o adestrador José Cloacir, também estará presente com super dicas de comportamento, educação e bem-estar para animais de companhia.  A protetora Neuza Lacerda estará com cães resgatados, ansiosos para ganhar um novo lar e um tutor responsável.  A feira terá ainda praça de alimentação e espaço kids para proporcionar um dia incrível para todos os apaixonados por animais. A entrada da Feira Pet será social com a sugestão de um 1 kg de ração que será doado para protetora Neuza Lacerda.

O Seminário de Estética Pet acontece com apoio da Coordenadoria de Direitos dos Animais da Prefeitura de Niterói, no dia 05 de junho, das 9h às 17h, no Clube Esporte Olaria, estrada Washigton Luis, altura do número 520, em frente ao Condomínio Lírios do Campo, Sapê. O local conta com estacionamento próprio.

Saúde Animal: Água é o segredo para prevenir doenças urinárias em gatos



Os gatos têm origem desértica e, por isso, mantêm o hábito de beber pouca água e de segurar a urina por longo tempo. Devido a isso podem apresentam maior risco do que outras espécies de desenvolver doenças do trato urinário. Esses dois fatores podem causar uma das enfermidades mais comuns entre os felinos: a urolitíase, que é caracterizada pela formação de cálculos nas vias urinárias (rins e bexiga).

Os cálculos são como ‘pedrinhas’ que surgem devido ao acúmulo de cristais formados pelo sal e pelos sais minerais contidos na urina provenientes da dieta. Eles podem surgir nos rins, ureter, uretra, mas nos felinos são mais comuns na bexiga. Independentemente da região acometida, as consequências são frequentemente graves, como infecções”, explica a Coordenadora da Comunicação Científica da Total Alimentos e médica veterinária, Bárbara Benitez.

Foto: Pixabay
Como prevenir?

A principal recomendação é incentivar o gato a tomar água, a ingestão adequada de água dilui a urina e evita a formação dos cálculos”, afirma Bárbara.

Confira mais dicas da médica veterinária:

Tenha vários bebedouros. Coloque diferentes recipientes de água pela casa. Lembre-se de trocar pelo menos uma vez ao dia, gatos são caprichosos, gostam de água fresca e até um simples pelinho pode fazê-los perderem o interesse.

Refrescância garantida. Coloque pedrinhas de gelo nas vasilhas para que o seu animal de estimação tenha água sempre fresca. Os gelos também são divertidos para eles.

Foto: Pixabay
Escolha certa do recipiente. Escolha o bebedouro que mais se adeque ao seu bichano. Cada vasilha dá um sabor diferente à água, por isso, vá testando vários tipos e formas.

Água corrente. Os gatos amam água corrente, mas não é sustentável manter as torneiras aberta, certo? Tenham em casa bebedouros-fontes, por exemplo.

Quantidade de água. O consumo de água pode variar dependendo do clima e da dieta. Em animais saudáveis não há uma quantidade mínima determinada, pois, na maioria das vezes, os gatos conseguem regular a ingestão de água conforme a necessidade. Em situações em que o animal não terá a oferta de água à vontade, como por exemplo em viagens ou quando for ficar sozinho em casa por um determinado tempo, estima-se que a proporção seja de 1:1 água x caloria ingerida. 

Observe seu gato.  O felino pode estar sofrendo com uma obstrução urinária quando o animal fica muito tempo na posição de urinar e mostra esforço, urina em gotejamento, quando a urina do gatinho tem sangue, ao urinar, o gatinho mia muito ou o animal lambe os órgãos genitais excessivamente.

Dica da Especialista: Caso o felino já apresente uma doença no trato urinário, é indicado um alimento próprio para o controle e manutenção da afecção, assim como a Equilíbrio Veterinary Urinary, que possui teores adequados de sódio, proteína, magnésio e fósforo, além de controlar o pH urinário”, explica Bárbara.