quinta-feira, 22 de junho de 2017

Saúde Animal: Doença intestinal pode causar desnutrição em cães

Problemas no trato gastrointestinal também acomete cães. Foto: Divulgação

Diarreia crônica ou aguda, ventre enrijecido e fezes com coloração mais escurecida são sinais de que talvez o cãozinho tenha algum problema gastrointestinal. Entre os distúrbios mais comuns estão as gastrites e as colites, que podem acometer cães de todas as raças e portes.

De acordo com o médico veterinário da Equilíbrio e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado, muitos pacientes com problemas intestinais podem desenvolver quadros de desnutrição, causada pela inabilidade do organismo em desempenhar suas funções normais de absorção de nutrientes. Segundo Machado, o cão precisa consumir alimentos específicos para amenizar as crises: “O manejo nutricional de uma doença gastrointestinal exige alimentos formulados com ingredientes específicos, como a proteína de soja, glutamina e prebióticos, que proporcionam alta absorção e ajudam na digestibilidade”.

A dieta especial é coadjuvante à terapia farmacológica e pode ser necessária por toda a vida do animal: “em quadros agudos, crises, o alimento especial deve ser utilizado, no máximo, durante um mês, mas nos caos crônicos o pet precisa consumir ao longo da vida, sempre com acompanhamento veterinário”, completa o médico veterinário.

Fonte: Total Alimentos.


segunda-feira, 19 de junho de 2017

Pet gripado? Veterinária esclarece 7 dúvidas sobre a doença

Prevenção da gripe em pets é feita através da vacinação. Foto: Divulgação

Confira os esclarecimentos sobre a gripe em animais de estimação destacados pela Dra. Bárbara Benitez, médica veterinária da Equilíbrio e Coordenadora da Comunicação Científica da Total Alimentos.

Cães e gatos ficam gripados?
Sim, mas é uma gripe diferente dos seres humanos. Os pets não pegam gripe das pessoas, nem transmitem para nós.

O que causa?
Em geral cães e gatos são acometidos por gripe por causa de vírus ou bactéria. Nos cães, os vírus causadores podem ser Parainfluenza Canina e a bactéria Bordetella Bronchiséptic. Nos gatos, chamamos de doença do complexo respiratório felino, que pode ser causada por vários agentes.

Como prevenir?
Assim como nos humanos, a melhor forma de prevenir a gripe nos pets é a vacinação, que deve ser feita anualmente.  Nos cães a vacina deve ser contra Parainfluenza Canina e a bactéria Bordetella Bronchiséptic, nos gatos contra Rinotraqueite, Calicivirus e Clamídia.

Cães e gatos podem pegar H1N1?
Não. As gripes de humanos não são transmitidas para os pets.

Quando eles pegam gripe?
A maior incidência da gripe ocorre no outono e inverno, mas, quando filhotes, os pets precisam de bastante cuidado, pois são acometidos mais facilmente por gripe.

Sintomas?
• Falta de apetite;
• Febre;
• Espirros;
• Apatia;
• Olhos lacrimejantes;
• Coriza;
• Conjuntivite;
• Lesões no interior da boca.

Como meu pet será tratado?
O tratamento é feito a base de antibióticos, inalação, fisioterapia respiratória.

Fonte: Total Alimentos.


quarta-feira, 14 de junho de 2017

Grátis: Feira Vida Liberta RJ celebra Dia Internacional do Yoga e traz novidade no cardápio: carne de caju (18/06)

Gastronomia vegana por até R$ 20. Evento em Ipanema é pet friendly


Evento em Ipanema é Pet Friendly. Foto: Tarik

Rio de Janeiro, RJ. No dia 18 de junho, domingo, acontece das 11h às 20h a 5ª edição da Feira Vida Liberta, com entrada gratuita, shows, palestras e gastronomia vegana até R$ 20. A edição será dedicada ao Dia Internacional do Yoga com aulas gratuitas, incluindo yoga para crianças. A Feira Vida Liberta é pet friendly, tem entrada gratuita e acontece na Casa 7, em Ipanema, pertinho do metrô, em um espaço com área coberta e ar condicionado.  Os organizadores sugerem que visitantes tragam alimentos para doar aos projetos Arrastão de Luz e Casa de Fraternidade Francisco de Assis. Quem quiser, pode doar também rações para cães e gatos que serão entregues a protetores independentes.

Comida vegana até R$20. Foto: Tarik
Gustavo Goldani, um dos organizadores do evento, é instrutor de yoga e reunirá amigos professores para a ação. “Criamos a feira Vida Liberta com intenção de incentivar um estilo de vida saudável e consciente de forma alegre e divertida. O Yoga faz parte disso. Um exercício psico-físico milenar, com benefícios comprovados para a saúde, que pode ser feito em qualquer espaço e por pessoas de todas as idades”, exalta Gustavo, criador da feira ao lado da irmã, Catarina.

Os dois vêm de uma família de médicos e se preocupam muito com o tema saúde consciente. “Nosso evento é inclusivo, oferecemos gastronomia saudável até R$ 20,00 com opções para celíacos e pessoas com alergias alimentares que são, normalmente, negligenciadas”, garante Catarina, que estuda Nutrição e comanda a barraca Culinária Liberta que oferece sucos e tortas vivas e apetrechos para preparar os sucos em casa.

A Feira Vida Liberta também tem sido uma importante alavanca econômica para pequenos produtores como a hamburgueria Grão Mestre. Sediada em Saquarema, venderam tudo na edição passada, em sua primeira participação. A nova aposta nessa edição é no potencial da carne de caju que será vendida pela Cia do Caju em formato de empada e hambúrguer.  

Lista de expositores: ALIV Aromaterapia - Cosméticos Veganos | Aldrago Ambiental - Terrários, mudas, produtos para horta | Barletta Massas - Pizzas, pães | Bora La - açaí, comida fit | Culinária Liberta - sucos vivos, voal para suco, torta viva | Caminho do Alto - compotas, temperos, molhos | Cia do Caju - empada e hambúrguer de carne de caju + canjica com leite de castanha de caju | Canto do Banguela - produtos orgânicos da roça | Doce Vegana - doces | Da Si - refeições e compotas | Grão Mestre - hambúrguer Jhon Bermond - pinturas com pigmentos naturais Lua Essência - cosméticos Nutri Veg - nhoque, massas PANCs Brasil - molhos, plantas alimentícias não convencionais Solo Vegano - salgados Solar Vegano - quiches Sorvetes Tribo - sorvetes Seed Vida Saudável – doces, pastas, trufas, cosméticos naturais Santi Veganos - cachorro quente, pães, bolos Veguita Burguer - hamburguer Vegui Delicias - refeições, salgados | Vida Prana - sucos, alimentos vivos Vegabom - "peixe", "linguiça", hamburguer de soja Velho Armazem Temperos - temperos, molhos, quiches, refeição Zula Kitchen - rolls veganos.

Serviço: Feira Vida Liberta. Casa 7.  Rua Piragibe Frota Aguiar, 7 - Ipanema /RJ. Domingo, dia 18 de junho, das 11h às 20h. Entrada Franca.


segunda-feira, 12 de junho de 2017

Saúde Animal: Por que os gatos deixam a ração na beira do pote?

Excesso de sensibilidade dos bigodes de felinos pode atrapalhar a alimentação. Foto: Divulgação

A hora da refeição nem sempre é o momento mais agradável na vida de um gato. Às vezes, eles têm o hábito de comer a ração que está no meio da tigela e deixar a borda cheia de grãos e, ainda assim, reclamam que está sem comida.

Outra situação é quando eles começam a comer e param, voltam a comer e param novamente, levando vários minutos para se alimentar de uma porção pequena. Tem ainda alguns felinos que puxam a comida para fora do prato, fazendo muita sujeira. Há, também, aqueles que são mais obedientes, mas quando estão em frente ao prato de comida se tornam mau humorados e bravos, especialmente com outros gatos da casa.

Foto: Pixabay
Para o médico veterinário da Max Cat Marcello Machado, tudo isso ocorre devido ao excesso de sensibilidade nos bigodes, os felinos se irritam quando estes encostam na borda de pratos e potes de ração. “Os bigodes dos gatos, também chamados de vibrissias, são órgãos sensoriais, receptores táteis, que são conectados aos músculos da face e ao sistema nervoso que enviam para o cérebro diversos sinais para ajudar o felino a entender o ambiente”, explica.

Não importa a quantidade de ração que você coloca no pote, o gato sempre come o meio e deixa o restante nas beiradas. E depois fica miando para repor a ração, como se o prato estivesse vazio. Também pode acontecer do gato jogar a ração para fora do prato antes de comer. “Pode parecer frescura ou que está sem fome, mas o motivo é a ‘Fadiga dos Bigodes’ que confunde as informações que enviam ao cérebro sobre o ambiente em que se encontram”, declara Machado.

Outro motivo pelos quais os gatos não comem a ração na beirada do prato é basicamente uma questão de geometria: gatos têm focinhos que dificultam que eles alcancem a beirada do comedouro tradicional. Quando tentam pegar a ração dos cantos, eles batem o focinho sensível na borda e precisam girar a cabeça e puxar os grãos com a língua.

Marcello explica que os bigodes também são capazes de detectar a menor mudança de direção do vento, ou ondas de som e vibrações. “Por isso, é importante encontrar uma melhor forma de alimentá-lo, um pote adequado e não o estressar, caso ainda persista a dificuldade da alimentação, é importante procurar um veterinário”, finaliza.


sexta-feira, 2 de junho de 2017

RJ: Campanha de Adoção do LARC (Lar de Chiquinho), acontece neste sábado, na Barra da Tijuca (03/06)


Neste sábado (03/06), vai rolar a campanha de adoção do Lar de Chiquinho na petshop A Casa do Bicho, na Avenida Olegário Maciel, 390, na Barra da Tijuca, das 10h às 16h.

Cães e gatos esperam uma família amorosa e responsável. Para adotar é necessário ser maior de 18 anos e ter em mãos CPF, RG e comprovante de residência.

Quem não puder adotar, pode ajudar com doações de ração, tapetes e areia higiênicos, medicamentos, produtos de pet, vermífugos, jornais, coleiras, guias e potes para ração. 

Serviço: Campanha de Adoção do LARC (Lar de Chiquinho). Casa do Bicho, Rua Olegário Maciel 390 - Barra da Tijuca/RJ. Sábado, dia 03/06, das 10h às 16h.

Apoio: 


quinta-feira, 1 de junho de 2017

Niterói: Seminário de Estética Pet promove encontro de groomers premiados, nesta segunda (05/06)

Feira Pet arrecada ração para cães e gatos e realiza campanha de adoção de pets



Um bom groomer precisa  sempre atualizar as suas técnicas de tosa, estudando o padrão de cada raça e até mesmo aprendendo a cuidar dos pêlos de pets, como gatos e coelhos. Buscando apresentar as principais novidades do setor, nesta segunda-feira (05/06), a cidade de Niterói receberá a II Edição do Seminário Estética Pet, que irá promover um grande encontro entre  groomers premiados e especializados  com os profissionais de banho e tosa da  região. Nessa edição, o evento contará com uma Feira Pet, aberta ao público, para que todos possam conhecer melhor o trabalho de um groomer  e os principais produtos que utilizam. São esperadas cerca de 400 pessoas.

A programação do evento está mais que especial. Para os profissionais de banho e tosa e criadores que querem  aprender mais, os workshops apresentarão grandes groomers de outros estados.  De São Paulo estão vindo: Samuel Castro, groomer campeão das Américas do Master Groom, mostrando a técnica de Trimmer em um cão da raça Golden Retriever;  e Simony Cariri, groomer especialista em tosa exótica, ensinando os cuidados na hora de tosar um coelho. E do Espírito Santo, o groomer Samuel Maier, especialista em Chow Chow, que irá mostrar o que é mito e verdade sobre a raça mais temida pelos tosadores. Os participantes das palestras ganharão certificados.



Já a Feira Pet irá trazer marcas de roupas, acessórios, produtos de beleza, e petiscos para pets. O grupo Dogs, formado pela veterinária Joana Neder e o adestrador José Cloacir, também estará presente com super dicas de comportamento, educação e bem-estar para animais de companhia.  A protetora Neuza Lacerda estará com cães resgatados, ansiosos para ganhar um novo lar e um tutor responsável.  A feira terá ainda praça de alimentação e espaço kids para proporcionar um dia incrível para todos os apaixonados por animais. A entrada da Feira Pet será social com a sugestão de um 1 kg de ração que será doado para protetora Neuza Lacerda.

O Seminário de Estética Pet acontece com apoio da Coordenadoria de Direitos dos Animais da Prefeitura de Niterói, no dia 05 de junho, das 9h às 17h, no Clube Esporte Olaria, estrada Washigton Luis, altura do número 520, em frente ao Condomínio Lírios do Campo, Sapê. O local conta com estacionamento próprio.

Saúde Animal: Água é o segredo para prevenir doenças urinárias em gatos



Os gatos têm origem desértica e, por isso, mantêm o hábito de beber pouca água e de segurar a urina por longo tempo. Devido a isso podem apresentam maior risco do que outras espécies de desenvolver doenças do trato urinário. Esses dois fatores podem causar uma das enfermidades mais comuns entre os felinos: a urolitíase, que é caracterizada pela formação de cálculos nas vias urinárias (rins e bexiga).

Os cálculos são como ‘pedrinhas’ que surgem devido ao acúmulo de cristais formados pelo sal e pelos sais minerais contidos na urina provenientes da dieta. Eles podem surgir nos rins, ureter, uretra, mas nos felinos são mais comuns na bexiga. Independentemente da região acometida, as consequências são frequentemente graves, como infecções”, explica a Coordenadora da Comunicação Científica da Total Alimentos e médica veterinária, Bárbara Benitez.

Foto: Pixabay
Como prevenir?

A principal recomendação é incentivar o gato a tomar água, a ingestão adequada de água dilui a urina e evita a formação dos cálculos”, afirma Bárbara.

Confira mais dicas da médica veterinária:

Tenha vários bebedouros. Coloque diferentes recipientes de água pela casa. Lembre-se de trocar pelo menos uma vez ao dia, gatos são caprichosos, gostam de água fresca e até um simples pelinho pode fazê-los perderem o interesse.

Refrescância garantida. Coloque pedrinhas de gelo nas vasilhas para que o seu animal de estimação tenha água sempre fresca. Os gelos também são divertidos para eles.

Foto: Pixabay
Escolha certa do recipiente. Escolha o bebedouro que mais se adeque ao seu bichano. Cada vasilha dá um sabor diferente à água, por isso, vá testando vários tipos e formas.

Água corrente. Os gatos amam água corrente, mas não é sustentável manter as torneiras aberta, certo? Tenham em casa bebedouros-fontes, por exemplo.

Quantidade de água. O consumo de água pode variar dependendo do clima e da dieta. Em animais saudáveis não há uma quantidade mínima determinada, pois, na maioria das vezes, os gatos conseguem regular a ingestão de água conforme a necessidade. Em situações em que o animal não terá a oferta de água à vontade, como por exemplo em viagens ou quando for ficar sozinho em casa por um determinado tempo, estima-se que a proporção seja de 1:1 água x caloria ingerida. 

Observe seu gato.  O felino pode estar sofrendo com uma obstrução urinária quando o animal fica muito tempo na posição de urinar e mostra esforço, urina em gotejamento, quando a urina do gatinho tem sangue, ao urinar, o gatinho mia muito ou o animal lambe os órgãos genitais excessivamente.

Dica da Especialista: Caso o felino já apresente uma doença no trato urinário, é indicado um alimento próprio para o controle e manutenção da afecção, assim como a Equilíbrio Veterinary Urinary, que possui teores adequados de sódio, proteína, magnésio e fósforo, além de controlar o pH urinário”, explica Bárbara.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Grátis: West Shopping promove exposição fotográfica 'Bichos Mostram a sua Cara' , em Campo Grande, no RJ (De 01 até 30/06)


Campo Grande, RJ. Entre os dias 01 e 30 de junho, os animais serão as estrelas principais de uma exposição fotográfica promovida pelo West Shopping, em Campo Grande. Com curadoria de Malu Ravagnani, a mostra ‘Bichos Mostram a sua Cara’ revelará ao público belas imagens do mundo animal retratadas por alunos do Curso de Fotografia Helcio Peynado. A entrada é gratuita e acontecerá no Espaço Multiuso.

‘Bichos Mostram a sua Cara’, que tem supervisão do curso de Helcio Peynado, no mercado há 14 anos, coloca os animais em primeiro plano e exalta o esplendor e a essência de cada espécie, em suas diferentes formas e belezas naturais. 

O público poderá apreciar cerca de 50 fotografias, captadas pelas lentes das câmeras de inúmeros estudantes, em situações do dia a dia de cada um. Dentre as imagens registradas, por completo ou apenas em detalhes, há desde cães, gatos a cobras, pavões, entre outras espécies.

Além das fotografias, um móbile de Tsuru, ave símbolo do origami japonês, que significa boa sorte, felicidade e saúde, estará na exposição. Um adesivo interativo também estará no espaço para que os clientes façam fotos divertidas e registrem seus momentos no evento.

Serviço: Exposição fotográfica ‘Bichos Mostram a sua Cara’. West Shopping. Estrada do Mendanha, 555, Campo Grande - RJ. Espaço Multiuso - Loja 287 F. De 01 a 30 de junho, de segunda a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 13h às 21h. Entrada Franca. Informações: 21 3178-9501 / 9502.


Fotos: Divulgação.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Cropofagia: Saiba o que fazer quando seu cachorro ingerir fezes



O médico veterinário Marcello Machado, da Naturalis e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, responde às dúvidas mais frequentes dos tutores, sobre o assunto: Cropofagia. Meu cachorro come cocô. E agora? A coprofagia, ou o ato de comer fezes, é mais comum do que a maioria dos tutores imagina. Esse hábito pode estar ligado a problemas pancreáticos, superalimentação (quando o animal é alimentado apenas uma vez ao dia com grande quantidade de ração), baixos níveis proteicos, ocorrência de vermes, ou alimentação insuficiente (fome) e, principalmente, tem um forte laço comportamental. Cães estressados, ansiosos, entediados, confinados em lugares fechados e que querem chamar atenção de seu tutor, podem desenvolver esse distúrbio ao longo do tempo”.

Qual a solução? Para a solução desse problema, nem sempre são recomendados medicamentos. “Apenas uma mudança de comportamento é suficiente, por isso é importante buscar o médico veterinário de sua confiança, ele indicará o melhor tratamento”.

Fezes amolecidas ou gelatinosas

Fezes pastosas não são causadas apenas pela alimentação, então é importante entender exatamente o que está acontecendo. Confira as dicas do veterinário: Verifique se a quantidade diária fornecida não está em excesso. A superalimentação também pode provocar fezes amolecidas e até diarreia. Descarte a possibilidade de verminoses e protozoários, como a giárdia e veja se o pet está consumindo ou consumiu plantas com potencial tóxico, como o bico-de-papagaio.

Também saiba se houve troca brusca de ração, de alimento de filhote para adulto, por exemplo, ou troca de marcas. Recomendo a troca gradual de 7 dias: no primeiro e segundo deve incluir 25% da nova ração e 75% do alimento antigo; no terceiro e quarto dia 50% de cada. No quinto e sexto dia 75% do novo alimento e 25% do antigo. No sétimo dia 100% do alimento novo.

Intestino sensível ou intolerância. Pode ser que o cãozinho tenha intestino sensível a uma determina fonte proteica ou até seja intolerante à proteína animal. No caso de sensibilidade, geralmente um alimento com uma proteína diferente da qual o animal está habituado ajuda a amenizar o problema. Mas, em casos mais graves de intolerância, é necessário oferecer alimento elaborados com proteína de soja, que tem baixo teor alergênico.

O médico veterinário da Total Alimentos, Marcello Machado., também responde questões para os tutores pelo site de Naturalis, na aba “Dr. Naturalis”.



terça-feira, 23 de maio de 2017

Conheça 6 sintomas de vermes nos Pets

Por mais bem cuidados que o cão ou gatinho doméstico sejam, eles estão expostos a diversos tipos de parasitas, especialmente os vermes

Foto: Divulgação.
As verminoses estão por todos os lados e podem ser veiculadas através dos alimentos, do ar e da água, bem como durante os passeios pelas ruas e praças. Os filhotes de cães e gatos estão mais suscetíveis à contração em dois momentos: na hora do parto e através da amamentação.  “Já nos pets adultos, na maioria das vezes, a contração de alguma verminose ocorre por ingestão de fezes que estão infectadas ou durante o contato com animais portadores de um parasita, como os ratos”, explica Bárbara Benitez, Coordenadora da Comunicação Científica da Total Alimentos e médica veterinária da Equilíbrio.

Confira os principais sintomas das verminoses, de acordo com a veterinária:

1 – Perda de peso!
Os vermes se alimentam das proteínas e/ou sangue oriundo dos tecidos do pet, isso faz com que o animal filtre menos nutrientes do que realmente precisa. Além disso, os vermes provocam lesões que comprometem a digestão e dificultam a absorção dos alimentos.”

Foto: Pixabay
2 – Mudança na pelagem do gato!
A pelagem fosca e/ou desajeitada pode indicar a presença de um parasita. A desidratação, bem como a má absorção de nutrientes, pode ocasionar uma infecção parasitária e refletir no pelo do gato ou do cãozinho.”

3 – Notou que o abdômen está maior?
Não confunda o aumento abdominal como sinais de que o pet está ganhando peso e/ou engordando. Um abdômen com vermes tende a ficar inchado e ocasionar o aumento de volume na barriga. Um teste rápido que pode ser feito é apalpar o abdômen e notar se o animal sente desconforto quando você toca.”

4 – Avalie a gengiva do gato!
A gengiva deve estar sempre rosada, pois isso indica que o animal está saudável. Se tiver pálida e/ou branca, pode sinalizar uma anemia, ou então qualquer outro sintoma que pode ser provocado por um parasita.”

5 – Cuidado com a diarreia e as fezes do bichano!
A diarreia tende a ser um dos sinais de que a barriga do pet está com vermes, por isso, verifique a situação das fezes do animal. Quando escuras ou esverdeadas, pode ser um sinal de que estão com sangue, o que pode indicar uma necatoríase – doença parasitária ocasionada por vermes que fixam nas paredes do intestino delgado e causa o sangramento. Muitas vezes, podem ser observados ovos de parasitas nas fezes, por isso observe e veja se há algum indício.”

6 – Procure por indícios!
Veja se o cão ou gato está roçando o bumbum no chão, isso pode ser um indício de que o pet sente coceira na região do ânus. O prurido é causado por ovos de parasitas que podem estar saindo do reto e grudando no pelo do pet. Observe, ainda, a cama e os lugares onde o pet costuma ficar. Os ovos podem ser vistos nestes espaços. Lembre-se: use sempre uma luva e pedaços de madeira ao mexer nas fezes procurar pistas.”

Ao identificar algum desses sinais, o tutor deve levar o animal rapidamente ao médico veterinário, pois, quando não tratado a tempo, o pet pode piorar e desenvolver problemas mais sérios de saúde”, conclui a veterinária.


segunda-feira, 22 de maio de 2017

Grátis: Palestra 'Como Preparar uma Lancheira Saudável', vai arrecadar ração para cães e gatos, em Cabo Frio (24/05)

Criança bem alimentada tem energia na medida certa e não fica doente com frequência


Alimentação na primeira infância é fundamental para o desenvolvimento físico e emocional. A alimentação desbalanceada pode dificultar o sono, a concentração e o aprendizado. Afinal, o que colocar na lancheira? Você sabe ler rótulos para fazer melhores escolhas? A palestra gratuita “Lancheira Saudável”, em parceria com o Espaço Aldeia Viva, vai ensinar como montar lanches saudáveis, práticos e que cabem na correria do dia a dia. Será no dia 24 de maio (quarta), às 18 horas no espaço de eventos do Cereall Gourmet, em Cabo Frio.

A Terapeuta Naturalista Mondriam Mageswki e a mãe coruja vegetariana Paloma Heringer vão abordar: comida de verdade, alegria e sabor, variedade e quantidade, escolhas inteligentes de industrializados, e equilíbrio e vitalidade.  Apaixonadas por alimentação saudável, elas são responsáveis pela cozinha da escola livre Espaço Aldeia Viva, em Cabo Frio, onde se divertem preparando cardápios e cozinhando para a criançada.

Conheça as palestrantes Mondriam Mageswki e Paloma Heringer:



A participação é gratuita, mas pede-se a colaboração de um quilo de ração (para cão ou gato). Todo material arrecadado será doado para a Superintendência de Proteção dos Animais de Cabo Frio, que mantém diversos projetos sociais. O espaço de eventos do Cereall fica à Rua José Bonifácio, 28, Centro, Cabo Frio.



terça-feira, 16 de maio de 2017

Clube de vantagens incentiva hábitos saudáveis aos tutores e seus pets

A Total Alimentos está cada vez mais ativa no mercado de alimentação natural, principalmente na linha Premium Especial Naturalis, que possui formulação 100% natural. Pensando nisso e na busca de hábitos saudáveis para os pets e seus tutores, a empresa lançou um clube de vantagens, Naturalis Health Club.

O programa de benefícios funciona a partir do momento que o consumidor efetua a compra de produtos da linha Naturalis para seu cão ou gato. Naturalis Health Club atua de forma totalmente online, por meio de aplicativo no IOS (App Store) ou Android (Play Store).

Após o consumidor comprar Naturalis para seu cão ou gato e registrar o cupom fiscal no aplicativo, ele recebe descontos em consultas com nutricionistas, preparadores físicos, compra de suplementos, brindes e acesso a dicas para uma vida mais saudável. No início, o clube de vantagens estará disponível apenas para a Região Metropolitana de Campinas (RMC).

Naturalis Health Club surgiu a partir de um projeto de inovação da empresa Neovia, do Grupo In Vivo, a qual a Total Alimentos é uma das companhias de pet food que pertencem ao grupo. No total foram 341 trabalhos enviados ao comitê de inovação mundial e 35 foram selecionados, entre eles Naturalis Health Club.

Com esse novo programa de benefícios, a Total Alimentos pretende incentivar hábitos saudáveis para os tutores e seus pets, que buscam uma vida mais equilibrada. “O projeto aproxima o propósito da linha, que é oferecer um alimento mais saudável aos nossos animais de estimação, ao estilo de vida dos tutores que também se preocupam em seguir uma vida ativa e com mais saúde. Através do App, o mesmo terá acesso a informações, brindes, descontos e vantagens através de nossos parceiros sempre ligados a uma qualidade de vida melhor”, conta o idealizador do projeto e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado.


*Não é publieditorial, consulte sempre seu veterinário.


segunda-feira, 8 de maio de 2017

Seu cão tem alergia? Causas podem ser alimentícias ou ambientais


Animais de estimação também estão propensos a desenvolver algum tipo de alergia ao longo da vida – seja por fatores alimentícios e/ou ambientais. As reações alérgicas podem ocorrer por diversos motivos, como também podem atingir todas as raças de cachorro e em qualquer idade. Entre as alergias mais comuns em cães, estão as alimentares, as que ocorrem através de picadas de pulgas e alérgenos inalantes, entre outros.

É importante saber diferenciar a alergia de uma intoxicação alimentar, considerando que a intoxicação tem como sintomas o vômito, diarreia e a perda da vontade de comer. Já a alergia provoca coceira, arranhões, perda de pelos, problemas gastrointestinais e a dificuldade respiratória”, explica o médico veterinário da Equilíbrio e Gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado.

A alergia alimentar é uma reação do sistema imunológico do cão ao entrar em contato com uma substância que seu corpo rejeita. “Ela pode ser hereditária, como também propensa a raças específicas, como ocorre com o Lhasa Apso, Buldogue Inglês e Francês, Golden Retriever, Pastor Alemão, Yorkshire, Poodle e Boxer”, explica Machado.

Para isso, é sempre importante procurar um médico veterinário ao notar que o cachorro tem apresentado tais sintomas para que ele possa ser examinado e, então, descobrir as causas e aplicar o melhor tratamento para o animal.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Pet Terapia beneficia saúde dos idosos em contato com animais

A Terapia Assistida por Animais, conhecida como Pet Terapia, é um tratamento auxiliar para diversos tipos de doenças


Por Margareth Artur do Portal de Revistas da USP



A Terapia Assistida por Animais (TAA), popularmente conhecida como Pet Terapia, é um tratamento auxiliar para diversos tipos de doenças e comprovadamente desencadeadora de “bem-estar, saúde emocional, física, social e cognitiva” em pacientes psiquiátricos, hospitalizados e idosos moradores em instituições. Nesse tratamento, o animal é “o principal agente da terapia, que funciona como ponte de ligação entre o tratamento e o paciente”, afirmam os autores de artigo recém-publicado na Revista de Medicina

O artigo é resultado de estudo feito em uma casa de repouso em Vila Velha, no Espírito Santo, com 25 idosos hipertensos, para avaliar a influência dessa terapia na pressão arterial dos mesmos, no período imediato “às alterações físicas, cognitivas, doenças agudas ou crônicas, perda do cônjuge ou filho, perda de apoios sociais, pobreza, gerando dependência na realização das atividades da vida diária e locomoção”.

A Pet Terapia é uma técnica terapêutica que conta com os animais como apoio para o tratamento de pessoas portadoras de problemas de saúde, “estimulando tanto o aspecto físico quanto o emocional, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas e acelerar os processos de recuperação”, afirmam os autores. É indicada, sobretudo, como alternativa que dispensa medicamentos para a hipertensão, doença comum nos idosos, responsável por grande parte de óbitos no mundo. Os animais, de acordo com esse estudo, mostram-se verdadeiros antídotos contra o estresse e a ansiedade, fatores que muito contribuem para o surgimento das doenças cardiovasculares.

O tratamento aposta no estímulo sensorial do tato para despertar a autoestima e a sensibilidade, na relação integradora das pessoas com os animais, seja falando com eles, seja tocando-os – é assim que a ansiedade, a frequência cardíaca e a pressão arterial diminuem. Os cachorros e os cavalos são os campeões quando o assunto é terapia com bichos para beneficiar seres humanos, segundo os autores, pois é “remédio” eficaz que auxilia na demência senil, no mal de Alzheimer, na esquizofrenia, na reabilitação de idosos, no tratamento para transtornos psicossociais, para crianças e adultos hospitalizados, e também na redução do colesterol, pressão sanguínea e estresse.

A pesquisa comportou sessões de TAA semanais, com duração de uma hora, durante quatro meses, e mostrou resultados bem positivos na amenização dos sentimentos de inutilidade, de incapacidade, da dor e da solidão que acometem, em geral, os idosos. Os autores citam outros estudos nos quais a terapia com animais aliou-se a atividades físicas como caminhadas e passeios, gerando benefícios físicos e emocionais, momentos de relaxamento e alegria, em uma integração de corpo e alma com os animais, o que propicia a redução da pressão arterial.

A sensação de felicidade com a chegada dos animais era evidente com a presença de sorrisos notados em cada idoso. As sessões de TAA promoveram momentos de tranquilidade e descontração entre os idosos e toda a equipe de saúde participante.” A intenção dos autores, tendo em vista a comprovação dos benefícios da terapia, é abrir “a expectativa para a realização de outros semelhantes envolvendo um número maior de pacientes”, já que as pesquisas nessa área são poucas, para que se avalie a influência da TAA tanto na pressão arterial quanto “em outros fatores fisiológicos, como a função endócrina e sobre o alívio do estresse”.

O trabalho foi apresentado na 22ª Conferência Mundial de Promoção da Saúde.

Fernanda de Toledo Vieira é médica veterinária, mestre pela UFV, coordenadora do Projeto Bicho Solidário e docente da Universidade Vila Velha.

VIEIRA, Fernanda de Toledo et al. Terapia assistida por animais e sua influência nos níveis de pressão arterial de idosos institucionalizados. Revista de Medicina, São Paulo, v. 95, n. 3, p. 122-127, dez. 2016. ISSN: 1679-9836. 

Link: www.revistas.usp.br/revistadc/article/view/111963 (Acesso em: 02 jan. 2017).

Fotos: Pixabay


sábado, 1 de abril de 2017

RJ: Confeitaria Doce Vegana lança loja virtual com cardápio para Páscoa

Divulgação

A confeitaria Doce Vegana, criadora de bolos e doces sem ingredientes de origem animal, lançou, para alegria do mundo vegan, sua confeitaria virtual, A marca foi criada em outubro de 2015 e atende consumidores com diversas restrições alimentares seguindo a filosofia de vida dos criadores da empresa, Kelly Soares e Erick Loureiro.

Divulgação
Tem Ovos de Páscoa de casca recheada, de colher ou cake em tamanhos que variam de 250 a 400 gramas. O Ovo Cake une o melhor dos produtos Doce Vegana, uma deliciosa casca de ovo feita com chocolate belga recheado por dentro com brownie e brigadeiro ou recheado de palha italiana extra cremosa. Acompanha colher de chocolate belga. Na faixa de R$ 66 a R$ 79. O Ovo de Casca recheada é feito com chocolate belga com a casca recheada e bombons sortidos sem lactose/caseína ou ovo variando entre R$ 47 e R$ 58. Os Ovos de Colher são feitos com chocolate belga, recheio de brigadeiro gourmet acompanhado de colher feita de chocolate belga, com preços entre R$ 46 e R$ 73, dependendo do tamanho.  

Divulgação
A Doce Vegana surgiu da vontade dos donos em ajudar um abrigo de animais.  Para arrecadar fundos, decidiram vender os doces que preparavam em casa sem produtos de origem animal, uma das maiores questões da marca.  O sucesso foi tão grande que várias pessoas que fizeram encomendas nunca mais pararam de pedir. Ali ficou evidente que o propósito de difundir o veganismo alertando sobre o sofrimento e exploração animal, não era uma causa só deles, mas de muitas outras pessoas que pensam fora do comum e/ou que tem modelos diferentes de vida.

O casal abriu mão de sólidas carreiras - ela, advogada, ele, empreiteiro e, desde então, integram pessoas com as mais diversas restrições alimentares. “Antes essas pessoas eram excluídas na partilha de momentos felizes com pessoas queridas. Por isso, fazemos doces para todos, veganos, não veganos, celíacos, diabéticos, intolerantes à lactose, com ingredientes super escolhidos, muito sabor e visual impactante, mantendo o compromisso de reverter parte dos lucros para a causa animal”, explica Kelly.

Tabela de valores e gramatura : 

350 gramas Ovo Cake brigadeiro com Brownie - R$ 66
350 gramas Ovo Cake palha italiana - R$ 66
300 gramas Ovo casca recheada de brigadeiro de paçoca e bombons sortidos - R$ 47
400 gramas Ovo casca recheada de doce de leite vegano e bombons sortidos - R$ 58
250 gramas Ovo chocolate belga recheado com ganache de chocolate - R$ 56
350 gramas Ovo chocolate belga recheado com brigadeiro de castanha de caju - R$ 73

Faça a sua encomenda: www.docevegana.com


sexta-feira, 31 de março de 2017

Grátis: Veggie Fest reúne o melhor da culinária vegana em Niterói (02/04)

Evento é pet friendly e vai arrecadar ração para o projeto Lar Dog Lar


Churrasquinho vegano. Divulgação

O mercado vegano está em franco crescimento no Brasil, tendo como princípios não somente o direito dos animais, como também a alimentação saudável. Em Niterói, o melhor do veganismo estará reunido na primeira edição da Veggie Fest que acontecerá, neste domingo, dia 02 de abril, das 10h às 16h, no Canto do Rio Football Club, com entrada franca.

Strogonoff vegano. Divulgação
Nos últimos anos, as feiras e eventos têm servido para desmistificar a ideia de que o alimento vegano não tem sabor e não é agradável ao paladar. Pelo contrário, é possível sim se alimentar de forma saudável e saborosa e, o que é melhor, sem sacrificar os animais. Essa percepção do público consumidor também tem servido para entender que o veganismo não é tão somente uma filosofia de vida, mas uma questão de posicionamento em prol da humanidade.

O consumo de produtos veganos no Brasil apresentou um crescimento, em 2016, da ordem de 40%. Embora o consumo de carne seja forte ainda no país, nos últimos anos é possível ouvir mais sobre veganismo. Isso porque as pessoas estão tendo uma conduta diferente em relação ao assunto.

Promovido por Rosana Ferraz, dona da marca Veggie Bom, o evento contará com o melhor da gastronomia vegana para o almoço ou lanche, tanto salgado quanto doce, além de shiatsu e mapa astral. A ideia, como ela destaca, "É mostrar o melhor da cultura vegana do Rio de Janeiro e de Niterói. Por esse motivo, os expositores foram criteriosamente selecionados para demonstrar ao público o que existe de mais especial na gastronomia vegana".

Aqueles que doarem ração no dia da feira vão concorrer a uma cesta com alguns produtos dos expositores. A doação será encaminhada para o Movimento ERA (Lar Dog Lar), em Niterói.

Confirme a sua presença no evento: www.facebook.com/events/284565138629962/

Serviço: Veggie Fest. Canto do Rio Football Club. Avenida Visconde do Rio Branco, 701, Centro, Niterói/RJ. Domingo dia 02/04, das 10h às 16h. Entrada Franca. 


quinta-feira, 30 de março de 2017

Março amarelo: saiba tudo sobre a doença renal crônica dos gatos

Visita periódica ao veterinário é o caminho para o diagnóstico precoce 


Divulgação

A Doença Renal Crônica (DRC) está entre as doenças degenerativas e progressivas que mais afetam os felinos, atingindo 60% dos gatos em geral. “Pode ser definida como a presença de anormalidade estrutural ou funcional de um ou ambos os rins, a doença pode ser presente por um período extenso de 3 meses ou mais”, explica a médica veterinária da Equilíbrio e Coordenadora da Comunicação Científica da Total Alimentos, Bárbara Benitez.

Assim como nos humanos, a doença pode ser silenciosa e os sintomas podem aparecer quando o problema já está em fase avançada. Na maioria das vezes quando diagnosticada, 75% dos rins já estão comprometidos, e sem tratamento pode levar à morte do animal.

Por isso, é tão importante conscientizar os donos de felinos sobre a importância do diagnóstico precoce da DRC e do acompanhamento periódico do veterinário, dessa forma pode-se evitar a evolução da doença e o sofrimento do animal.

Principais Sintomas

- Letargia (desânimo)
- Desidratação
- Vômito
- Diminuição do apetite
- Polidipsia (aumento da sede)
- Poliúria (aumento da excreção urinária)

Como prevenir a evolução da doença?

- Acompanhamento periodicamente ao veterinário
- Exames clínicos e anamnese por meio de exames laboratoriais e histórico do paciente

Principais exames

- Escore da Condição Corporal (ECC): avaliação das reservas corporais do animal que reflete o quanto ele está magro ou gordo
- Exame do sistema cardiovascular
- Palpação renal
- Estado de hidratação
- Exame da cavidade oral
- Temperatura corporal e mensuração da pressão arterial
- Cultura bacteriana da urina
- Hemograma completo
- Diagnóstico da imagem bioquímica
- Relação proteína-creatinina urinária

Observe seu gato: O felino pode estar sofrendo da DRC quando:

- O animal fica sem ânimo
- Volume da urina aumenta
- O apetite do gato diminui
- A frequência de vômitos e enjoos aumentam
- O comportamento habitual do felino altera

A linha Super Premium da Total Alimentos, possui um alimento coadjuvante no tratamento da DRC: Equilíbrio Veterinary Renal Gatos. O produto tem na sua composição ingredientes para auxiliar e diminuir os sintomas da enfermidade. Contém baixo teor proteico e de fósforo para auxiliar na manutenção da função renal; contém teores elevados de EPA e DHA (Ômega3) que auxiliam na perfusão renal e é composto por antioxidantes que protegem as células contra a ação dos radicais livres.

Fonte: Bárbara Benitez, Coordenadora da Comunicação Científica da Equilíbrio e médica veterinária da Total Alimentos

segunda-feira, 20 de março de 2017

'Segunda Sem Carne': receita de Batalhoada da Eco Chef Mônica Bull


Divulgação

Continuando o projeto para aqueles que desejam abolir aos poucos ou de vez a carne do cardápio, trazemos uma receita vegana para a coluna "Segunda Sem Carne" lá de Cabo Frio, da Eco Chef Mônica Bull, que tem na bagagem 30 anos dedicados a pesquisa e alquimia dos sabores de ervas e especiarias. Em seu restaurante vegetariano Cereall Goumet, ela apresenta várias opções veganas e acredita ser essencial uma postura sustentável, ecológica e que resgate hábitos alimentares tradicionais.  Segue o preparo da Batalhoada:

Receita de Batalhoada

Ingredientes: 5 cebolas médias, descascadas, inteiras, 2 cenouras médias, descascadas, cortadas em rodelas; 1 abobrinha média, com casca, cortada em rodelas; 5 a 7 vagens picadas, 5 batatas médias, com casca, inteiras, 1 batata doce média, descascada, cortada em rodelas, 1 xícara de funghi seco, 1 xícara de coração de alcachofra 1 tomate cortado em cubinhos, sem as sementes, caldo de legumes, temperos e sal a gosto, pimentões em tiras, azeitonas e Azeite a gosto.

Finalização: Cheiro verde picado, pimenta biquinho ou dedo-de-moça fatiada, alho frito.

Instruções de preparo: Higienize os legumes, especialmente os que serão usados com casca, depois passe a cozinhá-los separadamente, de modo que fiquem tenros, pois ainda irão ao forno. Em uma panela, ferva 2 litros de caldo de legumes ou 2 litros de água filtrada com 2 tabletes de caldo de legumes (certifique-se de não conter ingredientes de origem animal) e uma pitada de açúcar. Adicione cebola, alho e outros temperos, e acrescente sal, se achar necessário. Comece cozinhando primeiro as cebolas, retire em ponto ainda firme de cozimento e coloque em escorredor. Repita a operação com a cenoura, a abobrinha e a vagem, usando sempre o mesmo caldo de legumes para cozinhar e depositando os vegetais no escorredor.

Deixe as batatas para cozinhar no final, sempre separadamente. Se achar necessário, adicione mais água para cozinhá-las. Acerte também o sal. Depois de cozinhar todos estes ingredientes, coe e reserve o caldo de legumes que restou. Ligue o forno. Hidrate os cogumelos com parte do caldo de legumes ainda quente. Espere até os cogumelos ficarem macios. Depois disso, escorra bem. Misture todos os ingredientes preparados em uma travessa própria para ir ao forno, incluindo o tomate, os pimentões e as azeitonas. Neste momento, pode adicionar pequenos dentes de alho crus (depende de seu paladar). Acrescente o caldo de legumes reservado em quantidade suficiente para que metade dos legumes fiquem submersos. Regue com azeite e leve ao forno a 200ºC até que borbulhe. Antes de servir, salpique o prato com o cheiro verde, a pimenta e o alho frito.

Quem quiser provar outras receitas da Chef basta ir ao Cereall Gourmet Restaurant, na Rua José Bonifácio, 28, Centro, Cabo Frio. Informações pelo telefone (22) 2629-6739.


sexta-feira, 17 de março de 2017

5 tópicos sobre a doença hepática em cães

Pixabay

1. Causas: A maioria dos casos de hepatite primária canina têm origem idiopática, isto é, surgem espontaneamente. Mas também há hepatopatias causadas por microorganismos, toxinas, drogas, reações imunomediadas, distúrbios hereditários relacionados ao metabolismo de cobre, alterações metabólicas raciais, além de neoplasias.

2. Predisposição: A idade média de animais acometidos está entre 4 e 7 anos, mas não há predileção sexual.  As raças mais predispostas são: Dobermann, Pinscher, West Highland White Terrier, Scottish Terrier, Labrador Retriever, Cocker Inglês e Cocker Americano.

3. Cirrose: A cirrose é o estágio terminal da hepatite crônica e é caracterizada por fibrose do fígado e mudança da arquitetura hepática, entre outras características.

4. Sintomas: Os sintomas dependem da gravidade e progressão da doença e só são observados quando a enfermidade esgota as reservas hepáticas. Os pacientes podem apresentar quadros gastrintestinais inespecíficos, como hiporexia, perda de peso, náusea, êmese e diarreia.

5.  HE caesDieta específica:  A doença hepática é agravada pela falta de apetite do animal. Por isso, o alimento precisa ser bastante palatável e muito digestível, para reduzir o estado catabólico. É preciso oferecer uma dieta de manutenção que utilize proteínas em quantidade suficiente para atender a regeneração, reparação e manutenção hepática, reduzindo ao mínimo os produtos nitrogenados resultantes do catabolismo das proteínas. Equilíbrio Veterinary Hepatic –HE possui 14% de proteína e sua fonte é de origem vegetal (proteína hidrolisada de soja), auxiliando o metabolismo proteico sem exceder a capacidade do fígado. Possui teores reduzidos de cobre, zinco quelatado e garante energia metabolizável adequada (3963kcal/kg).

Fonte: Médico veterinário da Equilíbrio (Total Alimentos) e GerenteTécnico Nacional da Total Alimentos, Marcello Machado

segunda-feira, 13 de março de 2017

'Segunda Sem Carne': Lasanha de abobrinha da Eco Chef Mônica Bull

Hoje a nossa receita vem lá de Cabo Frio, da Eco Chef Mônica Bull, que tem na bagagem 30 anos dedicados a pesquisa e alquimia dos sabores de ervas e especiarias. Em seu restaurante vegetariano Cereall Goumet, ela apresenta várias opções veganas e acredita ser essencial uma postura sustentável, ecológica e que resgate hábitos alimentares tradicionais.  Segue o preparo da Lasanha de Abobrinha:

Receita de Lasanha de abobrinha

Ingredientes:

1 abobrinha italiana cortada em fatias de 0,5 centímetro
1 xícara de queijo mussarela ralado
1/2 xícara de molho de tomate (caseiro)

Preparo: 

1. Nesta ordem coloque camadas dos seguintes ingredientes:
molho de tomate temperado com ervas frescas ( manjericão,alecrim,sálvia)
abobrinha
queijo vegano ou tofu
abobrinha
2. Continue intercalando:
molho de tomate
queijo vegano ou tofu
abobrinha
molho de tomate
3. Finalize com uma camada generosa de queijo vegano ou tofu.
4. Leve ao forno (200°), por 40 minutos ou até dourar.

Quem quiser provar outras receitas da Chef basta ir ao Cereall Gourmet Restaurant, na Rua José Bonifácio, 28, Centro, Cabo Frio. Informações pelo telefone (22) 2629-6739.

sexta-feira, 10 de março de 2017

SP: Equilíbrio apresenta ração para cães com alergia em evento acadêmico

Divulgação
A linha Super Premium da Total Alimentos, Equilíbrio, participou no dia 04 de março de um coffee no curso de Pós-Graduação na Qualittas Universidade, especializada em medicina veterinária, nos cursos de Dermatologia e Oftalmologia. O evento aconteceu em Campinas/SP e contou com a presença da Dra. Alessandra Pereira do Rio de Janeiro, dermatologista referência na área e professora no Instituto Qualittas.

A ocasião reuniu profissionais e estudantes da área, que puderam debater sobre o tema e conhecer as soluções nutricionais da linha de alimentos terapêuticos da Total Alimentos, com foco na Equilíbrio Veterinary Hypoallergenic e linha fisiológica Equilíbrio Sensitive que são alimentos recomendados aos cães com alergia ou intolerância alimentar e que tenham manifestações dermatológicas ou digestivas originárias de ingredientes e nutrientes específicos.

É muito importante para nós nos aproximarmos de profissionais renomados e que estão dentro de universidades e centros de especialização, pois conseguimos divulgar toda nossa linha de produtos aos principais prescritores, reforçando nossa preocupação com o bom desenvolvimento e saúde do animal”, declara o Gerente Técnico Nacional, Marcello Machado.



sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Programa Max em Ação doa mais de 18 mil quilos de ração para 256 ONGs em 2016



O programa Max em Ação doou mais de 18 mil kg de ração para 256 ONG’s, protetores independentes e amigos dos animais de todo o Brasil ao longo do ano de 2016. Ao todo foram 21.651 cães e 9.675 gatos beneficiados pelo programa.

O Max em Ação atua para disseminar os conceitos de guarda responsável, evitar o abandono e combater a violência contra os animais. Esse programa criado em 2012, também ajuda a alimentar cães e gatos que estão sob a tutela de ONGs ou protetores independentes, por meio de vales-ração encontrados no verso dos produtos MAX e MAX CAT e que os consumidores doam para a entidade cadastrada que preferir.

No total já foram mais de 160 toneladas de doações desde 2012. “Por mês, a equipe do programa recebe mais de 700 selos, que são convertidos em doações de alimentos às instituições”, declara o Gerente de Produto da Max, Diógenes Silva.

Como ONGs e protetores podem participar: Só participam dos sorteios, ONGs e protetores ativos no programa Max em Ação, ou seja, aqueles que enviaram vales-ração para o programa, nos últimos 60 dias.  Quem ainda não faz parte do Max em Ação, basta realizar o cadastro pelo e www.maxemacao.com.br

Os vales-ração são encontrados no verso de todas as embalagens da linha Max e Max Cat. A ONG/ protetor deve enviar os selos  para a Total Alimentos, Caixa Postal 51, CEP 37410-000, Três Corações. Conheça todas as iniciativas do Max em Ação em www.maxemacao.com.br


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

RJ: G.A.R.R.A. realiza campanha de adoção no Parque dos Patins, na Lagoa, neste sábado, das 16h às 20h (04/02)



Neste sábado (04/02), acontece a Campanha de Adoção do G.A.R.R.A. no Parque dos Patins, na Lagoa, das 16h às 20h. Muitos filhotes e adultos, cães e gatos lindos a espera de pessoas especiais para adotá-los e mudar pra melhor essas vidinhas!

Mesmo que você não possa adotar, ajude a divulgar o evento, convidando seus contatos e compartilhando, quem sabe na sua time line não está o adotante para um Garrinho carente? Muitos Garrinhos caninos e felinos esperam alguém especial!

Quem não puder adotar, pode ajudar com doações de ração, tapetes e areia higiênicos, medicamentos, produtos de pet, vermífugos, jornais, coleiras, guias, caixas de transporte, casinhas e potes para ração!

Para adotar é preciso ter em mãos CPF,  RG e Comprovante de Residência. 

Serviço: Campanha de adoção do G.A.R.R.A. Parque dos Patins - Lagoa/RJ. Sábado dia 04 de fevereiro, das 16h às 20h. Informações pelo e-mail: garranimalrj@gmail.com 

OBS:  Para adotar um gatinho traga sua caixinha de transporte!